3- Expansores

A região torácica anterior permite uma eficiente utilização dos expansores de pele graças à superfície de apoio rígida, formada pelo gradil costal. A força constante imprimida à pele através de um expansor apoiado nas costelas é extremamente eficaz.

Os expansores de tecido são próteses com um envoltório de elastômero de silicone, que são preenchidas gradualmente com solução salina. São classificados conforme a sua forma em semilunares, redondos ou anatômicos. A textura pode ser lisa ou texturizada, e a válvula remota, ou inclusa na própria prótese.

Em princípio, a expansão tissular está indicada para todas as pacientes mastectomizadas que tenham cobertura muscular adequada e uma quantidade insuficiente de pele para acomodar um implante definitivo. Geralmente é envolvido com uma matriz de Vicryl  ou dérmica acelular. Estas matrizes podem ser de origem animal ou até de tecido humano, felizmente a tecnologia avançou até o ponto que as matrizes dérmicas acelulares (ADM) são aplicadas durante os procedimentos cirúrgicos em áreas em que ocorreu perda de tecido, permitindo uma regeneração do tecido remanescente, a sua revascularização e também dando suporte a região, com baixo risco de eventuais complicações. Com o passar dos meses, pela cobertura da região desejada, as ADM tem um comportamento biológico e função similares aos tecidos recuperados.

As reconstruções com expansores requerem duas etapas cirúrgicas. No primeiro estágio o expansor é inserido na loja submuscular, que pode ser total, quando formada pelos músculos peitoral maior e serrátil, ou parcial, quando coberta apenas pelo músculo peitoral maior. Quando parcial, o retalho da mastectomia deve ser suficientemente espesso para garantir uma boa cobertura na região lateral da prótese e, consequentemente, diminuir as chances de extrusão.

A válvula, quando remota, deve permanecer no subcutâneo da região axilar, parede lateral torácica ou sobre o esterno, de forma a facilitar a punção e expansão no pós-operatório. Nas válvulas inclusas, existe um sistema de imã, que facilita a identificação e a correta punção da válvula.

Na segunda etapa, o expansor é trocado por um implante definitivo e eventuais assimetrias são corrigidas. A capsulectomia (retirada da cápsula), enxertos de gordura (lipofilling) e simetrização da mama contralateral podem ser realizados conjuntamente nessa etapa.

 Nas reconstruções mamárias os expansores utilizados normalmente são os de formato anatômico e a base do expansor corresponde à base original da mama. Deve-se levar em consideração uma sobre expansão de 15-20% no volume final do expansor, para um ganho mais significativo de tecido, sobretudo no polo inferior.

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                 Expansor com válvula inclusa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                            Lipofilling ou enxerto de gordura

16.jpg
17.jpg
18.jpg
Contate-nos

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Obrigado por enviar!

Icone-para-baixar-APP android 2.png
Icone-para-baixar-APP apple.png

Centro Médico Sorocaba

Botafogo

Rua Sorocaba, 464 - sala 202

Tel. 21 2537-0138 / 2539-5093

      Segunda, quarta e sexta-feira

Americas Medical City

Barra da Tijuca

Av. Jorge Curi, 550 - salas 252/253

Tel. 21 3264-4866 / 3264-4863

      Terça e quinta-feira

logo2.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Ícone cinza LinkedIn